Dar o primeiro passo

Não existe um caminho para a felicidade, a felicidade é o verdadeiro caminho!
Na busca pelos nossos sonhos e desejos precisamos tomar uma decisão muito importante: sair da inércia!

Não importa aonde queremos chegar, pois seja qual for o caminho traçado precisamos “dar o primeiro passo”. Esse, talvez, seja o momento de maior dificuldade e indecisão, porque na maioria das vezes é também um momento de mudança.
“Não há nada que seja maior evidência de insanidade do que fazer a mesma coisa dia após dia e esperar resultados diferentes!” Einstein
Mudar significa abandonar nossa “zona de conforto”. Aliás, eu nem sei o porquê desse termo! Na verdade, deveria se chamar “zona de desconforto”… certo?
Na realidade, é uma situação que não nos satisfaz, que nos incomoda, mas com a qual estamos acostumados a lidar, pois sabemos onde pisamos e temos certeza do que vamos encontrar.

Lavoisier, sabiamente, já dizia: “Na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”.
A natureza é sabia e nos mostra, a todo momento, que evolução exige transformação! Ou seja, a vida é uma constante mudança! Se você não muda, não acompanha o rumo da evolução, você fica parado no tempo e no espaço, torna-se ultrapassado.
Equivocadamente, buscamos a estabilidade, a rotina e a segurança evitando novas mudanças em nossas vidas (a tal “zona de conforto”). Tudo que está aparentemente bom deve permanecer do jeito que está, mesmo quando no fundo sabemos que existem descontentamentos. Preferimos, por exemplo, a estabilidade de um emprego que não nos trás satisfação pessoal, a arriscarmos uma mudança, um novo empreendimento, onde não sabemos se vamos obter sucesso ou se quebraremos a cara, mas que com certeza nos daria mais prazer de ser realizado.
Aliás, mudanças que fracassam muitas vezes são aprendizados que precisamos ter ao longo do caminho, nos indicando uma possível mudança de rumo. Sartre dizia: “o importante não é o que a vida faz com você, mas o que você faz com o que a vida faz com você”.
Você está se vendo enquanto lê esse artigo? Então continue… quem sabe você não vai começar a se ver diferente no final?
Nossa vida precisa de mudanças, de quebras de rotinas e de novos desafios. Mudança é uma porta que só pode ser aberta por dentro. Só nós temos a chave, só nós podemos decidir se vamos mudar ou não. É uma questão de atitude!
Muitos pensam que atitude é apenas ação. Ledo engano; atitude é racionalizar, sentir e agir. Você pode ter atitudes limitadoras (coercitivas) ou atitudes pró-ativas (construtivas). Encarar as transformações e mudanças de rumo fica muito mais fácil quando você se abre para a vida com atitudes pró-ativas, com alegria, com persistência e determinação, e melhor, isso contamina!
 
Tom Coelho, em um de seus artigos disse: “Ao combatermos a hesitação, corremos mais riscos, podemos experimentar mais insucessos, mas jamais ficaremos fadados à síndrome do “quase”, do benefício indelével da dúvida do que poderia ter sido “se” a atitude tomada fosse outra”.
Diante de uma possível mudança, devemos “racionalizar” e não “hesitar”! Pese os prós e contras, peça também uma ajuda para a sua “intuição” e então parta para a ação.
Tem uma oração que diz: “Senhor, me dê forças para mudar o que pode ser mudado, coragem para suportar o que não pode ser mudado e discernimento para distinguir um do outro”.
O fato de que um dia vamos morrer é algo que não pode ser mudado. Quase tudo mais pode!
Como disse no primeiro parágrafo desse artigo, a felicidade não está no fim do caminho.  A felicidade está na caminhada!
 Vamos lá… você já deu o primeiro passo?
 Autor: Ivan F. César

Nenhum comentário:

Postar um comentário